Substantivos simples, compostos, concretos, coletivos, entre outros

Veja um artigo resumido com a definição e muitos exemplos de substantivos na língua portuguesa. Variação do substantivo quanto à forma, classificação e gênero.

» Página Inicial

Substantivo é a palavra que designa, ou seja, nomeia pessoas, seres, lugares, coisas, ideias, sentimentos. Na nossa língua, o substantivo pode variar em gênero, número e grau.

Quanto à forma

Os substantivos podem ser primitivos, derivados, simples e compostos.

SIMPLES: o substantivo é formado por apenas uma palavra: terra, amor, lata, passarinho.

Um substantivo que contém dois radicais é chamado de substantivo composto.

Exemplos:

beija-flor

couve-flor

segunda-feira

COMPOSTO: o substantivo possui mais de uma palavra para formá-lo: guarda-chuva, passatempo, micro-ondas, girassol, minissaia.

Já os substantivos primitivos são aqueles que resultam em outras palavras.

Exemplos:

casa, árvore, livro.

PRIMITIVO: Substantivo primitivo é aquele que não deriva de nenhuma outra palavra: casa, pedra, chuva, carta.

Substantivo derivado é aquele que se originou a partir de uma palavra de origem.

Exemplos:

livraria - a palavra livraria vem da palavra livro; livro é um substantivo primitivo e livraria é um substantivo derivado.

DERIVADO: Substantivo derivado é aquele que é formado a partir de outra palavra: casebre, pedregulho, chuvisco, carteiro, a saber, casebre de casa, pedregulho de pedra, chuvisco de chuva e  carteiro de carta.

Quanto à classificação

Os substantivos podem ser qualificados como: próprio, comum, coletivo, concreto e abstrato.

PRÓPRIO: dão nomes específicos às pessoas, seres, sobrenomes, países, rios, oceanos, cidades e etc. Exemplos: Catarina, Chita, Dilma, Israel, Brasil, Peru, Amazonas, Recife, Cuiabá, Mato Grosso; inicialmente são escritors sempre com letra Maiúscula.

COMUM: dá nome a um ser, porém de forma generalizada: pessoa, presidente, país, oceano, rio, cidade, estado.

CONCRETO: Nomeia as pessoas, lugares, objetos, reais ou imaginários. Ex: carro, porta, duende, saci.

ABSTRATO: Nomeia qualidades, defeitos, ações, sentimentos como, felicidade, tristeza, pensamento, frio, calor, sede.

COLETIVO: Nomeia um conjunto de seres, objetos, coisas de uma mesma espécie: banda, cordilheira, arquipélago, quadrilha, cacho, penca, cardume,boiada(grupo de bois), alcatéia(lobos), atlas(mapas), biblioteca(livros), matilha (cães), vocabulário (palavras) .

Quanto ao gênero

Os substantivos da língua portuguesa podem ser masculinos ou femininos e quanto às formas podem ser:

BIFORMES: Possuem duas formas de um mesmo radical, bastando acrescentar “o” ou “a”, como menino-menina, moço-moça, tio-tia, gato-gata.

HETERÔNIMOS: Possuem radicais diferentes, um para o feminino e outro para o masculino. Não necessitam do artigo para flexioná-los. Ex: vaca-boi, rei-rainha, juiz-juiza, bode-moça, bispo-espiscopisa, carneiro-ovelha.

UNIFORMES: são os substantivos que possuem a mesma forma, tanto para o feminino, como para o masculino.

Os substantivos UNIFORMES podem ser: epicenos, comum de dois gêneros e sobrecomuns.

EPICENOS: são os que designam animais ou plantas e são invariáveis no artigo precedente. Quando se faz necessário dizer qual o sexo do animal, usa-se a palavra macho ou fêmea. Assim: águia fêmea – águia macho, papagaio fêmea – papagaio macho, cobra macho – cobra fêmea.

COMUM DE DOIS GÊNEROS: Usa-se o artigo “o” ou “a”, ou um, uma, antecedendo o substantivo para designar o gênero. Ex: o médico, a médica, o jornalista, a jornalista, o repórter, a repórter, um comentarista, uma comentarista.

SOBRECOMUNS: São os substantivos invariáveis, independente do artigo que o antecede. Ex: a criança, o parque, o chinelo, a caneta, a diversão, uma dança, a bicicleta. Não existem “o criança, a parque, a chinela, o caneta, o diversão, um dança, o bicicleta”.

FONTES:

www.gramatica.net.br/substantivo/

 


 
Veja também: